quarta-feira, 18 de março de 2015

Reações ao Dia do Pai


- Dia do Pai!? Não alinho nessas tretas. Dia do Pai são os 365 dias do ano. Não se é pai apenas neste dia. Que interessa tanta coisa neste dia se depois o pai é esquecido?


- Dia do Pai? Não me diz nada. O meu pai abandonou-nos quando eu era pequenino e nunca mais se lembrou de mim. Quero que ele vá para o Inferno...


- O meu pai quer lá saber de mim! A família verdadeira dele são o trabalho e os amigos. A família serve-lhe como pensão onde muitas vezes vai dormir...


- O meu pai? Trocou a minha mãe por uma estrangeira toda pintalgada. Não esqueço.


- O meu pai? Faz da família um quartel onde ele é o general. Tudo tem que rodar à sua volta. A minha mãe e nós temos que rodar de acordo com os seus humores, disposições e interesses. Somos apenas peças do seu xadrez.


- O meu pai? Sim, é um porreiraço. Porta-se como um dos filhos. Mas quando se trata de coisas sérias, empurra tudo para a minha mãe. Eu preciso de um pai que seja pai e não de um porreiraço. Desses tenho aos montes na escola...


- O meu pai? Dá conselhos e aponta caminhos. Só que a vida dele é exatamente o contrário daquilo que aconselha. Não lhe reconheço autoridade.


- O meu pai? É o egoísmo em pessoa. Logo que tenha para si, para os seus copos e para ir ao futebol, bem se interessa ele com as necessidades dos filhos!...


- O meu pai? Como posso sentir simpatia por ele se é violento para com a minha mãe? As palavras como espadas; as ameaças como furacões; o vozear como trovão; o olhar de desprezo; o rosto como ameaça...


- O meu pai? Não me fale nesse homem! Bateu na minha mãe e em nós porque chegou a casa ébrio ou com desconfianças tolas.


- O meu pai? Mas a família dele são as mulheres nuas que guarda no computador e as meninas do clube noturno que frequenta...


- O meu pai? Tão exigente para connosco, suas filhas, quando nós sabemos que ele tem uma amante secreta...


- O meu pai? Não tem tempo para nós. Depois do trabalho, o tempo ocupa-o no café, no desporto, na basta vida social. A nós só exige que o não chateemos...


- O meu pai? Gostava tanto que fosse o namorado da minha mãe! Nunca o vi da um beijo ou fazer uma carícia à sua esposa!


- O meu pai? Mas a família dele são a empresa e o partido. Nós só servimos para que toda a gente veja que ele está socialmente integrado...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.