segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Afinal, os ataques em Colónia não foram feitos por grupos de refugiados

-
Apenas apenas três dos 58 agressores envolvidos nos ataques a mulheres registados na madrugada da passagem de ano, em Colónia, eram refugiados.
O procurador de Colónia, Ulrich Bremer, revelou ao jornal alemão Die Welt que informações divulgadas pela polícia de Colónia aos media sobre o que se passou na noite de fim de ano não se confirmaram totalmente na investigação posterior.
Nessa altura, a polícia passou para os media a informação de que cerca de mil homens, organizados em grupos, tinham realizado uma série de ataques de cariz sexual a mulheres, junto à estação de comboios da cidade. As fontes policiais garantiam ainda que os agressores eram refugiados sírios que tinham chegado recentemente à cidade.
Depois de terem interrogado 300 pessoas e visto quase 600 horas de gravações de vídeo, os investigadores desmentiram por fim as suspeitas que recaíam sobre um grupo de refugiados sírios. A maioria dos suspeitos são argelinos e marroquinos que vivem na Alemanha há vários anos.
Ao contrário do que foi dito, entre os 58 suspeitos de terem participado em agressões na madrugada de 1 de janeiro, apenas três são refugiados, dois originários da Síria e um do Iraque, que tinham chegado à Alemanha recentemente.
Os restantes 55 agressores identificados pelas autoridades - que não são refugiados – são da Argélia (25), Marrocos (21), Tunísia (3), Alemanha (3), Irão (1), Líbia (1) e Montenegro (1).
Os ataques, descritos quase todos pela polícia como agressões sexuais, foram na sua maioria roubos. Das 1054 queixas apresentadas, 600 foram assaltos e 454 são de agressões sexuais.
Estas informações atiçaram o intenso debate sobre a política de asilo no país, motivando manifestações de extrema-direita para pressionar a chanceler Angela Merkel a estabelecer um limite de entradas para refugiados na Alemanha, alterando a “política de portas abertas” inicial.
Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.