sábado, 21 de maio de 2016

Notícias de toda a parte

Cancro – Uma equipa de cientistas dos Estados Unidos descobriu um composto químico que faz com que as células cancerígenas se autodestruam, revela um estudo publicado há dias na revista Proceedings of The National Academy of Sciences.
O novo composto químico actua sobre as células cancerígenas com mais precisão do que qualquer tratamento existente, segundo a investigação realizada por cientistas da organização biomédica The Scripps Research Institute, na Florida.


Madeira transparente – Uma equipa de investigadores suecos desenvolveu uma madeira que poderá vir a substituir o vidro em várias estruturas de construção como, por exemplo, janelas e fachadas.
Segundo a BBC, o novo material foi criado pelo Real Instituto de Tecnologia sueco (Kungliga Tekniska Högskolan – KTH), sediado em Estocolmo, e pode reduzir de forma significativa os custos de produção de painéis solares.

Um muçulmano na Câmara de Londres O Partido Trabalhista garantiu a vitória do seu candidato Sadiq Khan à Câmara Municipal de Londres. Será o primeiro presidente de câmara muçulmano numa capital da União Europeia. Sadiq prometeu dar resposta aos problemas da cidade, cuja população aumentou 900 mil habitantes em oito anos, tendo alcançado um total de 8,6 milhões, dando origem ao aumento da poluição, transportes superlotados e habitação inacessível.

Aumento da natalidade – Estão a nascer mais bebés em Portugal. Nos três primeiros meses de 2016, o número de nascimentos subiu 7% face ao ano passado.

Eutanásia O Presidente da Assembleia da República recebeu no dia 26 de abril uma petição pública pela despenalização da eutanásia, assunto que merece total discordância da Igreja Católica. Recorde-se que os bispos portugueses manifestaram a sua "total rejeição" de uma eventual legalização da eutanásia. "A Igreja nunca deixará de defender a vida como bem absoluto para o homem, rejeitando todas as formas de cultura de morte", afirmam numa pastoral.

Em risco os acordos com o Ensino Privado e Cooperativo Alunos, professores, pais e encarregados de educação, das escolas do ensino privado e cooperativo, em protesto contra o fim ou alteração dos contratos de associação, entregaram 50 mil cartas ao Primeiro-ministro e outras 50 mil ao Presidente da República.

Fonte: aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário