segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Um mergulho junto a crocodilos

Um parque australiano em Darwin permite aos visitantes um agradável mergulho na companhia de... crocodilos. Através de uma ‘jaula da morte’ transparente, com 12,7 cm de espessura, o turista fica, durante 20 minutos, cara a cara com um dos predadores mais temidos do Mundo. Para poder mergulhar e observar crocodilos de cinco metros de comprimento e quase 800 quilos, o visitante só tem de pagar cem libras (cerca de 120 euros).

Fonte:Correio da Manhã

sábado, 14 de agosto de 2010

Diferença entre CORRECTO E JUSTO

Por coincidência, dois juízes encontram-se no estacionamento de um motel e, constrangidos, reparam que cada um estava com a mulher do outro.

Após alguns instantes de silêncio e tensão, mas mantendo a compostura própria de magistrados, em tom solene e respeitoso um diz ao outro:

- Nobre colega! Não obstante este fortuito imprevisível, sugiro que desconsideremos o ocorrido, crendo eu que o CORRECTO será que a minha
mulher venha comigo, no meu carro, e a sua mulher volte com Vossa Excelência no seu.

Ao que o outro respondeu:

- Concordo plenamente, nobre colega, que isso seria o CORRECTO...
No entanto, não seria JUSTO, levando-se em consideração que vocês estão saindo e nós estamos entrando.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Uso excessivo da Internet pode levar à depressão

Adolescentes viciados em internet são mais propensos a desenvolver depressão ou outros problemas psiquiátricos do que jovens que são classificados como usuários comuns, segundo estudo que será publicado na edição de outubro da revista Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine. Em pesquisa com mais de mil estudantes chineses com idades entre 13 e 18 anos, os especialistas descobriram que os classificados como usuários patológicos de internet tinham 2,5 vezes mais chances de serem diagnosticados com depressão nove meses mais tarde. E aqueles que usavam a internet como forma de entretenimento eram mais propensos a esses problemas do que os usuários que “navegavam” apenas à procura de informações.
“ Esse resultado sugere que pessoas jovens inicialmente livres de problemas de saúde mental, mas que usam a internet patologicamente podem desenvolver depressão como consequência”, destacaram os autores.
Baseados nos resultados, especialistas chineses e australianos defendem a triagem de estudantes do ensino médio que parecem estar viciados em internet, com o objetivo de identificar aqueles que podem precisar de aconselhamento ou tratamento para problemas psiquiátricos. Eles destacam que, apesar de estudos anteriores terem demonstrado que a maioria dos usuários patológicos é formada por homens introvertidos, as taxas de sintomas psiquiátricos entre as garotas estão em crescimento. Por isso, os resultados “têm implicações diretas para a prevenção de doenças mentais em jovens, particularmente em países em desenvolvimento”.
Fonte: aqui.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Leituras para o fim-de-semana

1. Conclusão do caso Freeport
" Certo é que, neste estranho caso, Sócrates acaba mais suspeito do que começou – porque as dúvidas sobre alguns dos seus actos ficaram registadas no processo para a posteridade."
Leia aqui.

2. Doutores, engenheiros e analfabetos
"Isabel Alçada quer acabar com os chumbos nas escolas. Não para que os portugueses passem a ter mais habilitações, competência ou qualificação, mas simplesmente para evitar o estigma social que recai sobre o aluno repetente, retido, cábula, madraço ou o que quer que se lhe chame.
Se a ministra acha que essa é a única ou melhor maneira de os ajudar está muito bem enganada.
Essa é a melhor fórmula, sim, para termos um país cada vez mais desqualificado e incompetente, ainda que encartado e com boas taxas de sucesso escolar. Para tanto já bem bastam as Novas Oportunidades.
Porque entre isso e o analfabetismo chocante que se condenava ao Antigo Regime, venha o Diabo e escolha."

Leia aqui.

O merceeiro de Beja

O Manuel, alentejano de gema, dono de uma mercearia em Beja, leva a sua mulher ao ginecologista, para saber por que apareceram umas pintínhas azuis na virilha dela.
Depois de a examinar, o médico chama o Manuel e pergunta:
- O senhor pratica regularmente s * xo oral com a sua mulher?
- É claro, doutôri... Ela gosta, muitíssimo, óh se gosta!
- Então nas próximas vezes, lembre-se de tirar a caneta de trás da orelha!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Multimilionários decidem doar pelo menos metade das fortunas

O desafio dos multimilionários Bill Gates, co-fundador da Microsoft, e de Warren Buffett, financeiro, para que os ricos doassem pelo menos metade das suas fortunas para acções de solidariedade já tem 40 adesões.

Seis semanas depois de começarem uma campanha para conseguir que outros multimilionários dêem a maior parte das suas fortunas, Buffett, que preside e gere a sociedade de investimentos Berkshire Hathaway, divulgou esta quarta-feira no site The Giving Pledge, a primeira lista de pessoas que aderiram. Buffett decidiu em 2009 doar 99 por cento da sua fortuna estimada em 46 mil milhões de dólares (35 mil milhões de euros) a acções de solidariedade. Além de apelarem a um compromisso com uma dádiva, Gates e Buffett estão a pedir aos multimilionários que se comprometam a doar de forma inteligente e a aprender com os pares. Entre os que já aderiram contam-se nomes como os de Michael Bloomberg, George Lucas, David Rockfeller e Ted Turner.
Fonte: aqui

A Seleção de Futebol que preferiu morrer a perder

O Dínamo de Kiev.
A Seleção de Futebol que preferiu morrer a entregar o resultado...nos anos quarenta.

Na Ucrânia, os jogadores do FC Start (nome clandestino do Dínamo de Kiev), hoje, são heróis da pátria e o seu exemplo de coragem é ensinado nos colégios. Os possuidores de entradas daquela fatídica partida têm direito a assento gratuito no estádio do Dínamo de Kiev

A história do futebol mundial inclui milhares de episódios emocionantes e comoventes, mas seguramente nenhum seja tão terrível como o protagonizado pelos jogadores do Dinamo de Kiev nos anos 40.

Os jogadores jogaram um partida sabendo que se ganhassem seriam assassinados e, no entanto, decidiram ganhar. Na morte deram uma lição de coragem, de vida e honra, que não encontra, pelo seu dramatismo, outro caso similar no mundo.

Para compreender a sua decisão, é necessário conhecer como chegaram a jogar aquela decisiva partida, e porque um simples encontro de futebol apresentou para eles o momento crucial das suas vidas.


Tudo começou em 19 de setembro de 1941, quando a cidade de Kiev (capital ucraniana) foi ocupada pelo exército nazista, e os homens de Hitler aplicaram um regime de castigo impiedoso e arrasaram tudo.

A cidade converteu-se num inferno controlado pelos nazistas, e durante os meses seguintes chegaram centenas de prisioneiros de guerra, que não tinham permissão para trabalhar nem viver nas casas, assim todos vagavam pelas ruas na mais absoluta indigência. Entre aqueles soldados doentes e desnutridos, estava Nikolai Trusevich, que tinha sido guarda-redes do Dinamo.

Josef Kordik, um padeiro alemão a quem os nazistas não perseguiam, precisamente pela sua origem, era torcedor fanático do Dinamo. Um dia caminhava pela rua quando, surpreso, olhou para um mendigo e de imediato se deu conta de que era o seu ídolo: o gigante Trusevich.

Ainda que fosse ilegal, mediante artimanhas, o comerciante alemão enganou aos nazistas e contratou o guarda redes para que trabalhasse na sua pa
daria. A sua ânsia por ajudá-lo foi valorizado pelo jogador, que agradecia a possibilidade de se alimentar e dormir debaixo de um tecto. Ao mesmo tempo, Kordik emocionava-se por ter feito amizade com a estrela da sua equipa.

Na convivência, as conversas sempre giravam em torno do futebol e do Dinamo, até que o padeiro teve uma ideia genial: encomendou a Trusevich que em lugar de trabalhar como ele, amassando pães, se dedicasse a buscar o resto dos seus colegas. Não só continuaria pagando-lhe, como juntos podiam salvar os outros jogadores.


Percorreu o que restara da cidade devastada dia e noite, e entre feridos e mendigos foi descobrindo, um a um, os seus amigos do Dinamo. Kordik deu trabalho a todos, esforçando-se para que ninguém descobrisse a manobra. Trusevich encontrou tamb
ém alguns rivais do campeonato russo, três jogadores da Lokomotiv, e também os resgatou. Em poucas semanas, a padaria escondia entre os seus empregados uma equipa completa.

Reunidos pelo padeiro, os jogadores não demoraram em dar o seguinte passo, e decidiram, alentados pelo seu protector, voltar a jogar. Era, além de escapar dos nazistas, a única que bem sabiam fazer. Muitos tinham perdido as suas famílias nas mãos do exército de Hitler, e o futebol era a última sombra mantida das suas vidas anteriores.

Como o Dinamo estava enclausurado e proibido, deram um novo nome para aquela equipa. Assim nasceu o FC Start, que através de contactos alemães começou a desafiar a equipas de soldados inimigos e seleções formadas no III Reich.

Em 7 de junho de 1942, jogaram a sua primeira partida. Apesar de estarem famintos e cansados por terem trabalhado toda a noite, venceram por 7 a 2. O seu rival seguinte foi a equipa de uma guarnição húngara, ganharam de 6 a 2. Depois meteram 11 golos a uma equipa romena.

A coisa ficou séria quando em 17 de julho enfrentaram uma equipa do exército alemão e golearam por 6 a 2. Muitos nazistas começaram a ficar chateados pela crescente fama do grupo de empregados da padaria e buscaram uma equipa melhor para ganhar a eles. Trouxeram da Hungria o MSG com a missão de derrotá-los, mas o FC Start goleou mais uma vez por 5 a 1, e mais tarde, ganhou de 3 a 2 na revanche.

Em 6 de agosto, convencidos da sua superioridade, os alemães prepararam uma equipa com membros da Luftwaffe, o Flakelf, que era uma grande equipa, utilizado como instrumento de propaganda de Hitler.

Os nazistas tinham resolvido buscar o melhor rival possível para acabar com o FC Start, que já gozava de enorme popularidade entre o sofrido povo refém dos nazistas. A surpresa foi grande, porque apesar da violência e falta de desportivismo dos alemães, o Start venceu por 5 a 1.

Depois desta escandalosa queda da equipa de Hitler, os alemães descobriram a manobra do padeiro. Assim, de Berlim chegou uma ordem de acabar com todos eles, inclusive com o padeiro, mas os hierarcas nazistas locais não se contentaram com isso. Não queriam que a última imagem dos russos fosse uma vitória, porque acreditavam que se fossem simplesmente assassinados não fariam nada mais que perpetuar a derrota alemã.

A superioridade da raça ariana, em particular no desporto, era uma obsessão para Hitler e os altos comandos. Por essa razão, antes de fuzilá-los, queriam derrotar a equipa num jogo.

Com um clima tremendo de pressão e ameaças por todas as partes, anunciou-se a revanche para 9 de agosto, no repleto estádio Zenit. Antes do jogo, um oficial da SS entrou no vestiário e disse em russo: -"Vou ser o juiz do jogo, respeitem as regras e saúdem com o braço levantado", exigindo que eles fizessem a saudação nazista.

Já no campo, os jogadores do Start (camisa vermelha e calção branco) levantaram o braço, mas no momento da saudação, levaram a mão ao peito e no lugar de dizer: -"Heil Hitler !", gritaram - "Fizculthura !", uma expressão soviética que proclamava a cultura física.

Os alemães (camisa branca e calção negro) marcaram o primeiro golo, mas o Start chegou ao intervalo do segundo tempo ganhando por 2 a 1. Receberam novas visitas ao vestiário, desta vez com armas e advertências claras e concretas:

-"Se vocês ganharem, não sai ninguém vivo". Ameaçou um outro oficial da SS. Os jogadores ficaram com muito medo e até propuseram-se a não voltar para o segundo tempo. Mas pensaram nas suas famílias, nos crimes que foram cometidos, na gente sofrida que nas arquibancadas gritava desesperadamente por eles e decidiram, sim, jogar.

Deram um verdadeiro baile nos nazistas. E no final da partida, quando ganhavam por 5 a 3, o atacante Klimenko ficou cara a cara com o arqueir
o alemão. Deu-lhe um drible deixando o coitado estatelado no chão e ao ficar em frente a trave, quando todos esperavam o golo, deu meia volta e chutou a bola para o centro do campo. Foi um gesto de desprezo, de deboche, de superioridade total. O estádio veio abaixo.

Como toda Kiev poderia a vir falar da façanha, os nazistas deixaram que saíssem do campo como se nada tivesse ocorrido. Inclusive o Start jogou dias depois e
goleou o Rukh por 8 a 0. Mas o final já estava traçado: depois desta última partida, a Gestapo visitou a padaria.

O primeiro a morrer torturado em frente a todos os outros foi Kord
ik, o padeiro. Os demais presos foram enviados para os campos de concentração de Siretz. Ali mataram brutalmente a Kuzmenko, Klimenko e o Trusevich, que morreu vestido com a camiseta do FC Start. Goncharenko e Sviridovsky, que não estavam na padaria naquele dia, foram os únicos que sobreviveram, escondidos, até a libertação de Kiev em novembro de 1943. O resto da equipa foi torturado até a morte.

Ainda hoje, os possuidores de entradas daquela partida têm direito a um assento gratuito no estádio do Dinamo de Kiev. Nas escadarias do clube, custodiado em forma permanente, conserva-se atualmente um monumento que saúda e recorda aqueles heróis do FC Start, os indomáveis prisioneiros de guerra do Exército Vermelho aos quais ninguém pôd
e derrotar durante uma dezena de históricas partidas, entre 1941 e 1942.

Foram todos mortos entre torturas e fuzilamentos, mas há uma lembrança, uma fotografia que, para os torcedores do Dinamo, vale mais que todas as jóias em conjunto do Kremlin. Ali figuram os nomes dos jogadores. Abaixo a única foto que se conserva da heróica equipa do Dinamo e o nome dos seus jogadores. Goncharenko e Sviridovsky, os únicos
sobreviventes, junto ao monumento que recorda os seus colegas.

Na Ucrânia, os jogadores do FC Start hoje são heróis da pátria e o seu exemplo de coragem é ensinado nos colégios.

No estádio Zenit uma placa diz "Aos jogadores que morreram com a cabeça levantada ante o invasor nazista".


terça-feira, 3 de agosto de 2010

Uma obscenidade política

A política portuguesa teve hoje mais um episódio obsceno. Lamentavelmente já não causa admiração. Foi apenas mais um a somar a tantos outros.
Hoje foi publicado, com ruído mediático, um livro intitulado A Escola Pública Pode Fazer a Diferença. A autora é Lurdes Rodrigues, a anterior ministra da Educação de José Sócrates.
Dificilmente se encontrarão palavras adequadas que possam, com propriedade e objectividade, caracterizar este acto. Todavia, há, neste episódio, três fenómenos que não posso deixar de referir.
1. Uma ministra política e tecnicamente incompetente, cuja incompetência não tem paralelo na história portuguesa dos últimos 36 anos, considerou razoável, aceitável e normal escrever e publicar um livro sobre a sua desastrada e desastrosa obra à frente do Ministério da Educação.
Este acto de escrever e publicar um livro para tentar desenodoar a sua degradada e humilhada imagem confirma, pela enésima vez, que uma de duas situações é infelizmente verdadeira: Lurdes Rodrigues ou sofre de absoluta inconsciência política ou sofre de total falta de pudor, isto é, em linguagem chã, como ela tanto apreciava utilizar: ou não sabe o que fez ou não tem vergonha do que fez. Ou, uma última hipótese, tem vergonha, mas, seguindo o exemplo do seu ex-chefe de governo, comporta-se como as personagens mais púrrias do jet set nacional: um comportamento quanto mais censurável for mais exposição e mais espavento social exige para poder ser ultrapassado.
2. Os elogios dirigidos à autora, pelos intervenientes neste evento, mostram como muitos dos nossos políticos são medíocres. Em Portugal, faz-se política à base do «bitaite», isto é, à base do palpite, à base de umas ideias gerais, muito gerais, muitíssimos gerais a partir das quais se acha possível poder opinar substantivamente. Em Portugal, faz-se política considerando-se que não é preciso saber do que se está a falar. O paradigma desta forma de fazer política foi, e ainda é, Mário Soares, que nunca estudou qualquer dossiê, mas que se considera, e sempre considerou, preparado para falar de tudo e sobre tudo — por isso, ele estava lá, e falou e elogiou...
Esta é a forma mais cómoda e fácil de fazer política, porque não obriga ao estudo rigoroso de nada, e até permite que se elaborem discursos belíssimos ainda que repletos de gravíssimos dislates ou de absolutas inutilidades. É a forma mais fácil e mais cómoda de fazer política, mas também é a mais irresponsável.
Algum dos políticos que falou, ou que esteve presente, na cerimónia, a que se juntou, lamentavelmente, o prof. Sobrinho Simões, se deu ao trabalho de ler a legislação produzida por Lurdes Rodrigues?
Algum deles leu, por exemplo, as enormidades técnicas existentes na primeira versão do Estatuto do Aluno, de tal forma que teve de ser revisto à pressa e a um domingo?
Algum deles se deu ao trabalho de ler a monstruosidade técnica do sistema de avaliação do desempenho docente, que, quando foi publicado, previa ser aplicado em 15 dias?
Algum deles leu a vergonha técnica que é a legislação sobre o modelo de gestão de Lurdes Rodrigues? Onde, por exemplo, se faz coexistir um processo concursal e um processo eleitoral na escolha do director, processos objectivamente de natureza incompatível? Onde, por exemplo, se plasmam situações de clara incompatibilidade: como é possível efectivar-se o livre exercício da crítica ao director, por parte, por exemplo, do representante dos funcionários, no Conselho Geral, se esse funcionário sabe que, no dia seguinte, pode sofrer retaliações desse mesmo director, que é seu superior hierárquico? Alguém leu isto?Alguém dos elogiantes leu a vergonhosa e incompetente legislação sobre a avaliação do desempenho dos membros dos Conselho Executivos, no ano lectivo anterior, que não avaliou nenhum desempenho, mas apenas, e absurdamente, currículos?Algum dos presentes se deu ao trabalho de ler os despachos que saíam num dia e que, semanas depois, eram corrigidos por circulares?
Repare-se que estou a referir-me apenas à objectiva incompetência de Lurdes Rodrigues, que nem capaz era de sustentar tecnicamente as barbaridades políticas que defendia.
3. Alguém se informou, estudou ou leu o que quer seja sobre a verdadeira obra realizada por Lurdes Rodrigues?
Por exemplo, alguém se deu ao trabalho de saber, junto dos professores, a que corresponde, de facto, o famoso programa das Novas Oportunidades? Alguém se deu ao trabalho de saber o que significa um aluno com o 6.º ano de escolaridade obter em três meses o certificado do 9.º ano?
Alguém se preocupou em saber o que isso representa? Não perguntem aos alunos, que esses, ilusoriamente, ficam felizes e contentes; perguntem aos professores que, depois, os recebem no 10.º ano. E recebem muitos destes alunos sem que estes saibam ler nem escrever, nem sequer ao nível de um mediano aluno que tenha somente o 4.º ano. Querem saber situações reais, querem dados concretos? Perguntem aos professores. Perguntem-me, que eu dou-vos de imediato uma lista de situações reais. E depois de terdes conhecimento dos factos, perguntar-vos-ei se ainda considerais uma maravilha o programa das Novas Oportunidades.
Esta é apenas uma parte da horribilis realidade criada por Lurdes Rodrigues. Aquela que agora escreveu um livro para tentar branquear o crime de quase ter destruído a Educação em Portugal.
A política está cada vez mais obscena.
Fonte: aqui.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Sorrir faz bem

Recompensa
Sócrates caíu ao rio e dois jovens salvaram-no. Agradecido, quis recompensá-los:
- O que desejas? - Um computador.
- Pois vais tê-lo. E tu?
- Uma cadeira de rodas...
- Para quê?
- Quando eu contar ao meu pai que salvei o Primeiro Ministro, ele vai partir-me as pernas...

**********************************

Para as Meninas que Conduzem....
REVISTA MARIA
Para as meninas que conduzem..................
Parece que a revista MARIA tem agora um destacável automóvel para mulheres. Aqui vão algumas pérolas...
Cara Maria, Tenho experimentado travar a fundo para experimentar o AIR-BAG. No entanto, nunca consegui que o AIR-BAG disparasse. Será que o AIR-BAG está defeituoso, ou será que o carro esta a travar pouco?" (...)
Tive um furo, e ao levantar o carro para trocar o pneu, o macaco abriu um buraco no chão do carro. O carro ainda está na garantia. A minha pergunta é: a garantia também cobre o defeito de fabrico do macaco?" (...)
O meu marido disse-me para verificar o ar dos pneus sempre que atestasse o depósito. Ontem fui atestar e esqueci-me de verificar os pneus. Para verificar os pneus tenho de esvaziar o deposito e voltar a atestar? (...)
Já estou farta de andar a ajustar o espelho retrovisor sempre que acabo de me maquilhar. Onde posso comprar um daqueles carros com dois espelhos retrovisores, como tinha o policia que me multou no outro dia?" (...)
ESTÁ DEMAIS...
Estou muito furiosa com os jovens do tuning. No outro dia, ia eu a 70km/h na faixa esquerda da Marginal (velocidade máxima no local). Era uma noite calma, sem transito. Nisto, aparece atrás de mim um desses jovens mal-educados do tuning. Não só vinha em excesso de velocidade, como se colou à traseira do meu carro. Aquilo só visto! Parecia uma discoteca! Era só luzes azuis a piscar e música aos berros. Não e que, ao fim de uns quilómetros a importunarem-me, ultrapassaram-me pela direita?! Ainda por cima numa carrinha comercial, branca, e com aqueles autocolantes do tuning (estes diziam "Emergência Médica")! Quando é que o governo faz algo para evitar que estes jovens delinquentes andem na estrada?" (...)
Estou muito feliz. Aos fim-de-semana, sempre que possível, vou dar umas voltinhas no meu carro, que comprei novo em 1990 quando acabei de tirar a carta e que ainda está impecável. Este fim-de-semana cheguei aos 9.000kms. Finalmente começo a sentir-me confiante na condução. Começo a pensar em fazer uma viagem de carro, abandonando a minha zona residencial. Estava a pensar em fazer a viagem ate ao shopping mais perto. A minha questão é: Devo fazer a revisão dos 10.000kms antes da viagem?"
*************************************
Qual o seu QI?
Um sujeito entra num bar novo, hi-tech, e pede uma bebida. O barman é um robô que lhe pergunta:
- Qual o seu QI?
O homem responde:
- 150.
Então o robô serve um cocktail perfeito e inicia uma conversa sobre aquecimento global, espiritualidade, física quântica, interdependência ambiental, teoria das cordas, nanotecnologia e por aí.
O tipo ficou impressionado, e resolveu testar o robô. Saiu, deu uma Volta e retornou ao balcão. Novamente o robô pergunta:
- Qual o seu QI?
O homem responde:
- Deve ser uns 100.
Imediatamente o robô serve-lhe um whisky e começa a falar, agora sobre futebol, fórmula 1, super-modelos, comidas favoritas, armas, corpo da mulher e outros assuntos semelhantes.
O sujeito ficou abismado. Sai do bar, pára, pensa e resolve voltar e fazer mais um teste. Novamente o robô lhe pergunta:
- Qual o seu QI?
O homem disfarça e responde:
- Uns 20, eu acho!
Então o robô lhe serve-lhe uma pinga de tinto carrascão, inclina-se no balcão e diz-lhe bem pausadamente:
- E então meu, vamos votar no Sócrates de novo?