segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Polícias apanhados a fazer sexo em carro patrulha


Dois polícias da província argentina de Mendoza foram apanhados em flagrante a ter relações sexuais dentro do carro patrulha, enquanto estavam de serviço.

Os dois agentes, um homem e uma mulher, foram descobertos quando um operador do serviço de emergência da polícia sintonizou a frequência do carro patrulha e enviou um comunicado com a suspeita de que os agentes estariam em perigo.
Quando voltou a ligar para o rádio do carro, o operador escutou gemidos e frases eróticas transmitidas através do equipamento, que apesar de estar desligado, permitia divulgar o som ambiente.
Os dois polícias acabaram por ser punidos e transferidos para outras dependências da polícia da província de Mendoza.
In Correio da Manhã

Bebé cantando numa Igreja

Em seis anos de liderança Sócrates cometeu a proeza de levar o PS a perder 5 das 7 eleições


Como diria José Sócrates, ainda está por nascer o primeiro-ministro e líder do PS capaz de arrastar, como ele, o partido para as duas mais enxovalhantes e consecutivas derrotas em eleições presidenciais de que há, e haverá, memória.

Sócrates conseguiu que um dos dois grandes partidos portugueses, que rotativamente lidera o Governo do país, escolhesse oficialmente para candidatos ao mais alto cargo da política nacional, em 2006 e em 2011, dois nomes que não atingiram, sequer, o limiar mínimo dos 20% de votantes: Mário Soares quedou-se pelos 14,3%, Manuel Alegre caiu agora nos 19,8%. Nenhum deles alcançou, mesmo, a modesta fasquia do milhão de votos.

Qualquer uma destas penosas e mal-aventuradas candidaturas resultou da escolha pessoal e da imposição ao partido de Sócrates. E não deixa, por isso, de ser extraordinário ler e ouvir alguns comentários e análises que excluem caridosamente o líder do PS do grupo dos derrotados nestas presidenciais arrasadoras para os socialistas. E que até lhe gabam a arte da desresponsabilização e de ter sido capaz de isolar a ala mais à esquerda e mais radical do partido.

A verdade é que nunca o PS desceu tão baixo eleitoralmente como nas presidenciais de 2006 e de 2011, para as quais foi conduzido pela batuta e pela estratégia de Sócrates. Com resultados desastrosos e uma elevada factura política a pagar.

Acrescente-se, ainda, que nos seus seis anos de liderança Sócrates cometeu a proeza de levar o PS a perder 5 das 7 eleições em que participou. Um recorde difícil de igualar.

Depois da maioria absoluta com que se estreou em Fevereiro de 2005, Sócrates voltou a vencer as legislativas em Setembro de 2009, então já com uma maioria relativa de 36,6% e menos 24 deputados. Pelo meio, perdeu duas eleições autárquicas, colocando o PS atrás do PSD em número de presidências de Câmara, e conduziu o partido ao desastre das eleições europeias, numa lista encabeçada por Vital Moreira, que fez cair o PS abaixo dos 30% (26,5%), perdendo 18% da votação anterior e 3 eurodeputados. A esta folha de fracassos somam-se, por fim, os estrondosos fiascos destas duas eleições presidenciais.

Ainda está, pois, por nascer quem seja capaz de apresentar idêntico cadastro eleitoral.

jal@sol.pt

domingo, 30 de janeiro de 2011

Tropeçou em cobra de quatro metros


O norte-americano Loren Mell não ganhou para o susto quando, ao passear numa rua de Tarpon Springs (Florida), tropeçou numa píton de 4 metros e 90 kg. A cobra nem sequer ofereceu resistência quando agentes da polícia a retiraram do local.
In Correio da Manhã

sábado, 29 de janeiro de 2011

A FORÇA DO POVO (da Tunísia ao Egipto)

Há uma diferença, nada despicienda, entre a Tunísia e o Egipto.
O efeito de cascata está a alastrar, mas é preciso prestar atenção a um dado importante.
Na Tunísia, o exército colocou-se ao lado do povo.
No Egipto, as forças policiais aparentam estar ao lado do poder.
Será que vão manter sempre essa posição?
Já tombaram vários mortos.
Parece que estamos a reviver o último terço de 1989 quando os países de leste viram cair regimes que se afiguravam inexpugnáveis.
Ainda é cedo para antecipar o desfecho.
Uma coisa é certa. O povo está disposto a tudo. Quando se enfrenta a morte, a determinação é grande. Aguardemos.
Que a justiça se faça. E que a paz regresse.
AQUI

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Joseph Ratzinger, tinha então 42 anos,assinou documento a questionar celibato

A carta é datada de 1970, quando Joseph Ratzinger tinha 42 anos. O jornal "El País" publicou a notícia citando um diário alemão.

O Papa Bento XVI assinou um texto, datado de Fevereiro de 1970 e juntamente com outros teólogos, onde questionava o celibato. A notícia é publicada hoje no jornal "El País" e cita o diário alemão "Süddeutsche Zeitung". Joseph Ratzinger tinha na altura 42 anos.

"As nossas consultas e estudos coincidem na necessidade de um tratamento distinto da lei que estabelece o celibato tanto pela igreja alemã como pela imprensa mundial", pode ler-se no documento que, além da assinatura do actual Papa, é também defendido por pensadores como Karl Rahner, Otto Semmelroth, Karl Lehmann e Walter Kasper.

Na carta, tanto Ratzinger como os restantes oito teólogos, fazem questão de garantir que a sua opinião não tinha a intenção de influenciar qualquer decisão. Mas expressava bem as dúvidas relativamente à questão do celibato.
Fonte:aqui

Queixa-se à polícia do apetite sexual da mulher

Um turco residente na Alemanha foi de tal forma levado ao desespero pelo apetite sexual da sua mulher que acabou por apresentar queixa numa esquadra de polícia.

O homem, cuja identidade não chegou a ser divulgada pelas autoridades germânicas, dorme há quatro anos no sofá da sala mas garante que isso não impede a mulher de lhe exigir incessantemente o "cumprimento dos deveres conjugais".

"Ele vai agora pedir o divórcio e sair de casa. Isto na esperança de conseguir algum descanso", lê-se num comunicado da polícia alemã.
In Correio da Manhã
Ainda da Alemanha
Suicídios e criminalidade entre jovens problemáticos enviados para Portugal

A Alemanha enviou nos últimos anos crianças e jovens problemáticos para serem reeducados em Portugal por associações privadas, mas entre eles têm surgido casos de criminalidade e até de suicídio, revelou ontem à noite a televisão pública ZDF.

Na reportagem surge uma alemã que trabalhou durante oito anos para uma das associações dizendo que os relatórios que fazia sobre a evolução do comportamento dos jovens «eram censurados» para que eles não fossem reenviados para a Alemanha e a associação não perdesse o subsídio do Estado.

A ex-educadora, que não é identificada na reportagem, acusa as associações de serem «uma verdadeira máfia social», que só têm interesse em manter os jovens em Portugal o máximo de tempo possível, para receberem dinheiro da assistência social alemã.

A jornalista da ZDF entrevistou também portugueses perto de Lagos e em Aljezur que lhe relataram vários delitos cometidos por jovens alemães - que em Aljezur terão mesmo incendiado um clube de motards - a cargo de educadores das mesmas associações.

Um jovem alemão toxicodependente, Gordon, de 22 anos, confessa também à ZDF que teve 17 tutores desde que chegou a Portugal, há cinco anos, e que alguns deles também eram consumidores de drogas.

As ajudas do Estado alemão para a reeducação de Gordon, pagas a uma associação privada em Portugal, atingiam 3.800 euros por mês e cessaram quando ele completou 18 anos, diz-se na reportagem.

Gordon decidiu, mesmo assim, ficar em Portugal, por já não ter família na sua pátria e por ter alguém que o ajuda financeiramente no país de acolhimento.

A ZDF entrevistou também dois pedagogos que cuidaram de jovens alemães em Portugal, entretanto regressados à Alemanha, que contam que o caso mais problemático foi o de um jovem que já tinha tentado suicidar-se na Alemanha e que depois também tentou matar-se em Portugal, engolindo lâminas.

Além disso, o canal público alemão falou com o presidente do Instituto de Segurança Social (ISS), Edmundo Martinho, que confirmou que já houve dois casos de suicídio entre jovens alemães problemáticos, além de vários delitos cometidos por estes.

O mesmo responsável revelou também que várias associações alemãs que fazem este trabalho já estão na mira do Ministério Público português.

«Há vários casos de jovens em estado crítico, entregues à sua sorte, e casos de criminalidade», afirmou o presidente do ISS.

«Esta situação só é boa para as autoridades alemãs, que se livram dos jovens problemáticos, e para as associações que tomam conta deles, que ganham bom dinheiro, mas é má para os jovens», disse ainda Edmundo Martinho.
Lusa/ SOL

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Metade das crianças portuguesas têm carência de iodo

A sabedoria popular aponta as idas à praia como uma solução mágica para não existirem carências de iodo, mas a realidade não é bem assim. Um estudo que será apresentado hoje no âmbito do Congresso Português de Endocrinologia mostra que há muito a fazer neste campo: quase metade das crianças portuguesas em idade escolar têm carência de iodo, sendo que 35,1 por cento têm um aporte de iodo ligeiramente insuficiente, 11,8 moderadamente insuficiente e 2,2 uma carência grave – valores que potenciam possíveis problemas na tiróide, que se podem traduzir, por exemplo, em défices cognitivos e de crescimento e, nos casos mais graves, em doenças como o bócio.

O estudo Aporte do Iodo em Portugal, desenvolvido pelo Grupo de Estudos da Tiróide da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, com o apoio da farmacêutica Merck Serono, e a que o PÚBLICO teve acesso, partiu da avaliação de 3990 crianças entre os seis e os 12 anos de 78 escolas do continente e de 40 escolas da Madeira e detectou diferenças entre as várias regiões. Por exemplo, a carência na Madeira é muito superior à média nacional, situando-se nos 68 por cento. Um dado que surpreendeu os investigadores, já que nas zonas de mais fácil acesso a uma alimentação rica em peixe este problema não costuma aparecer, apesar de ser cada vez mais comum nos países europeus.

Já no continente, Aveiro e Coimbra foram as zonas com mais problemas, com 70 por cento das crianças analisadas com carências deste micronutriente, seguidos por Bragança (60 por cento) e Porto (54,5 por cento). Com menos problemas neste campo, destaca-se Leiria e Vila Real onde não foram detectados casos de carência e Portalegre (25 por cento) e Lisboa (26,3).

“Em Portugal não tínhamos dados actuais. Os únicos que existiam eram da década de 80 quando Castelo Branco lidava com bócio endémico e fez profilaxia para a doença”, esclareceu ao PÚBLICO Edward Limbert, coordenador do estudo. O especialista explicou, ainda, que este estudo segue-se a um que foi desenvolvido em grávidas e que encontrou os mesmos problemas, sendo que no período da gravidez e aleitamento e mesmo antes de a mulher engravidar é essencial “reforçar os stocks de iodo”, nomeadamente através de um suplemento como se faz com o ácido fólico, para evitar problemas graves no desenvolvimento do feto.

Peixe, marisco e algas

Edward Limbert lembrou que as doenças da tiróide como o hipotiroidismo estão directamente relacionadas com a falta de iodo e que, apesar de serem facilmente detectáveis através de uma análise de urina, são silenciosas. Segundo o especialista, o iodo é fundamental para a produção da hormona tiroideia e está presente nos alimentos que vêm do mar, como peixe, marisco ou algas. “O leite também tem algum teor de iodo, em virtude da alimentação das vacas e a verdade é que nas escolas onde era dado leite às crianças encontrámos valores mais positivos”, salientou Limbert. Sobre as idas à praia, precisou que “a absorção é demasiado baixa para ser suficiente” e sobre o peixe de viveiro recordou que “não serve”.

No que diz respeito à solução para este problema, o médico assegurou que na maioria dos casos a carência pode ser revertida sem se recorrer a suplementos e que bastaria garantir que o sal vendido no supermercado ou utilizado nos restaurantes e cantinas fosse iodado, isto é, enriquecido com iodo. Desta forma, sem ser feito um consumo exagerado de sal conseguiríamos ir buscar este nutriente.

Questionado sobre se a falta de iodo, ao fazer a tiróide funcionar de forma mais lenta, pode aumentar os casos de obesidade infantil, o investigador admite que são necessários mais estudos, mas sublinha que “o hipotiroidismo leva a resistências à insulina e a uma tendência para a obesidade”. Limbert adiantou, também, que a Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo está a trabalhar com a Direcção-Geral da Saúde no sentido de se avançar para medidas como as tomadas em Itália, Dinamarca ou Espanha, onde as mulheres que queiram engravidar ou que estão grávidas tomam um suplemento de iodo, ao mesmo tempo que se procede à iodização do sal.

Fonte: aqui

IDADE DOS SONHOS DEGENERA EM IDADE DOS (piores) PESADELOS

Um jovem de dezasseis anos mata o pai em Portugal.
Um adolescente de treze anos mata a mulher do pai nos Estados Unidos.
É arrepiante. É assustador. E não pode deixar de ser interpelante.
Como é que a idade de todos os sonhos pode desencadear o turbilhão dos piores pesadelos?
Como é que a manhã da existência pode dar lugar ao crepúsculo da vida?
Não tenho respostas. Sobram-me perguntas inquietantes.
Que está a ocorrer nos nossos lares, para alojarem tantas toneladas de ódio?
A vida de quem foi morto não terá nada que ver com a morte de quem matou?
Ninguém tem o direito de julgar. Todos temos o dever de reflectir.
Por este (des)caminho, a humanidade não vai longe.
O essencial para o futuro não se decide nas praças nem nas bolsas. Decide-se no coração de cada ser humano.
E há amostras que não são nada animadoras...
Fonte: aqui

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Alteração ao IRS 2010 - Atenção

IRS 2010 - Atenção à actualização da relação dos seus dependentes!

Actualize a sua lista de dependentes na DECLARAÇÃO ANUAL DE RENDIMENTOS - IRS (Por definição, são seus dependentes, todos aqueles que você é OBRIGADO, POR LEI, A SUSTENTAR)

Assim, são SEUS DEPENDENTES:

- Ciganos;

- Vagabundos;

- Presidência da República e assessores;

- Governo e assessores (até mesmo os familiares nomeados por clientelismo político);

- Câmara Municipal e assessores (idem);

- Águas de ... (consumos mínimos e estimado);

- EDP (consumos mínimos e consumo estimado);

- TMN; VODAFONE; OPTIMUS; etc.

- Gás de Portugal (consumos mínimos e estimado);

- Beneficiárias da taxa de saneamento básico (recolha de lixo, etc);

- Centros de inspecção de veículos;

- Companhias seguradoras (seguro automóvel obrigatório);

- BRISA - Portagens;

- Concessionárias de parques e estacionamento automóvel;

- Concessionárias de terminais aeroportuárias e rodoviários;

- Instituições financeiras - Taxas de administração e manutenção de contas correntes, renovação anual de cartões, requisição de cheque etc.;

- Mais de 230 deputados da Assembleia da República, com os respectivos ESQUEMAS de apoio.

... Para o ano é provável que tenha ainda MAIS!!!

(Enviado por email)

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Verdadeiramente verdadeiro

SÓ POR NÓS PORQUÊ?

O país está descontente e os corações mostram-se deprimidos.
Chovem as palavras de ordem e as ameaças descontroladas.
Mas, mesmo aí, seria possível pensar diferente e fazer melhor.
Habitualmente, só nos manifestamos quando as nossas coisas estão em risco.
Porque é que não nos manifestamos pelos outros?
Olhemos para a Tunísia.
As imagens de violência deixam-nos, certamente, destroçados, mas há uma lição que avulta.
Aquele povo levantou-se, praticamente em uníssono.
As imagens daquele jovem que se imolou despertou o clique e mobilizou a esperança.
É caso para dizer que, ali, se cumpriu a máxima do todos por um.
A revolução de jasmim não deixa de ser uma lição. De política, sim. Mas sobretudo de altruísmo.
In este blog

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

QUANDO O TELEMÓVEL TOCA NA BARRIGA DO CROCODILO

Um crocodilo de um aquário da cidade de Dnipropetrovsk, na Ucrânia, está a dar que falar após ter engolido um telemóvel. Ao contrário do célebre crocodilo do desenho animado ‘Peter Pan’, que engole um despertador e vai todo animado a nadar, enquanto se ouve ‘tic tac’, Gena, de 14 anos, está em perigo de ser operado devido ao objecto ingerido.

Durante uma visita ao aquário, a ucraniana Rimma Golovk aproveitou o momento em que o crocodilo abria a boca para lhe tirar uma fotografia. Contudo, ao esticar o braço para tirar a fotografia, o telemóvel escorregou-lhe das mãos, caiu para a água e Gena comeu-o.

Os trabalhadores não queriam acreditar quando Rimma se queixou de o crocodilo ter engolido o telemóvel, até o aparelho começar a tocar. O som vinha do interior de Gena.

Este episódio que faz lembrar a história do crocodilo do Peter Pan, não fosse o facto de Gena se recusar a comer e ter um comportamento estranho, estando em risco de ser operado.

De acordo com uma das funcionárias do aquário, Gena tem tido tem tido problemas intestinais, parece deprimido e com dores, nas últimas quatro semanas, desde o incidente. “O seu comportamento mudou, ele move-se muito pouco e nada muito menos que dantes”.

A cirurgia será utilizada só como último recurso, garante o chefe de veterinária do aquário. Este disse ao ‘The Telegraph’ que a remoção implica uma incisão e pontos que podem demorar pelo menos três semanas a sarar num réptil, para além de um procedimento destes ser perigoso quer para o animal, quer para o veterinário.

Segundo o veterinário, os crocodilos têm uma esperança média de vida de cem anos.

Fonte: aqui

A mão que embala a bomba

Em profunda crise, financeira e de valores, mais de metade dos cidadãos alheou-se da eleição do seu Presidente da República. Abstiveram-se da escolha do detentor do mais decisivo poder constitucional: a dissolução da Assembleia da República.
Se, à mais elevada abstenção de sempre em presidenciais, somarmos os votos em Fernando Nobre, em branco e no folclórico Coelho, fica o eco de mais um grito de alerta sobre a saúde da III República.

Contas feitas aos que expressaram a sua vontade, Cavaco chega ao segundo mandato com uma legitimidade reforçada pela vitória esmagadora sobre o candidato do PS e BE.

Alegre comportou-se como um dono de coutada. Julgou poder somar, ao seu milhão de votos de há cinco anos, os que voariam em ordenados bandos partidários. Mas, perante a esquizofrenia da aliança Sócrates-Louçã, os votos escolheram outras paragens mais livres do arame farpado – Nobre –, e com mais sentido de Estado – Cavaco –.

No discurso de vitória, o Presidente deixou claro que, embora amante da estabilidade, tem a força que lhe vem do povo. Lembrou "todos" os seus poderes constitucionais. Neste segundo mandato, é de Cavaco a mão que embala a bomba utilizada por Sampaio.

Após esta derrota, Sócrates avançará em breve com uma remodelação governamental. E Cavaco ali estará, com ar distante, a avaliar o regular funcionamento das instituições.
Fonte: aqui

Limitados pela crise

Portugal entra num novo ciclo político, mas o que vai determinar os próximos anos não é a vontade política, será a necessidade económica. Os dados revelados pelo Banco de Portugal indicam um forte arrefecimento da actividade económica já em Dezembro de 2010, o que prenuncia um terrível primeiro trimestre. Mas a maior sombra sobre a economia, que já gerou mais de 700 mil desempregados e coloca muitas centenas de milhares em situações precárias, é a situação financeira do Estado.
A má fama do País secou o crédito aos bancos. Os juros da dívida pública aliviaram ligeiramente na última semana, mas Portugal continua sob uma forte pressão. Só uma excepcional execução orçamental pode convencer os credores de que o País pode honrar os seus compromissos. Se a história for idêntica à de 2010, Portugal precisará mesmo de resgate. Apresentou um défice de 14,2 mil milhões de euros, apesar de ter arrecadado 32,33 mil milhões de euros em impostos.

Um Estado que tira aos seus contribuintes (cidadãos e empresas) 88,5 milhões de euros por dia e mesmo assim tem um buraco de quase 40 milhões dá motivo razoável para qualquer credor duvidar da sua capacidade de pagar as contas. E como nos próximos anos não se prevê um aumento de riqueza, aquilo a que chamamos crise vai condicionar a vida deste país por muito tempo.
Fonte: aqui

sábado, 22 de janeiro de 2011

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A sogra

Em Portugal, há 4.533 pensionistas a receber mais de 4.000 euros por mês

In Jornal da Beira
(Carregue com o rato no texto para poder ler bem)

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

PAI OFERECEU AO FILHO A ARMA COM QUE O FILHO MATOU O PAI

O absurdo visitou-nos uma vez mais

Diz-se que a imaginação ultrapassa a realidade. Mas há casos em que é a realidade a ultrapassar (de longe!) a imaginação.
O que se passou nos Estados Unidos contém todos os ingredientes da desmesura da maldade que nos atinge.
Um pai lembrou-se de obsequiar o filho, quanto este fez 14 anos, com uma...arma!
Pois o filho (em compensação?) acaba de matar o pai e um tio.
Segundo a imprensa, encarou tudo como uma calma desarmante.
O incompreensível apoderou-se de nós.
Fonte: aqui

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Chega de pândega!

Ora aqui vai outro importante contributo, para que o Ministro das Finanças
não continue a fazer de nós, parvos, dizendo, com ar sonso, que não sabe em
que mais cortar.

Acabou o recreio!
Se todos vocês derem a conhecer, como eu faço, ao fim do dia seremos centenas de milhar de "olhos mais bem abertos".

Orçamento do Estado:
Todos os ''governantes'' [a saber: os que se governam...] de Portugal falam em cortes das despesas, mas não dizem quais, e aumentos de impostos, a pagar pela malta.
Não ouvi foi nenhum governante falar em:
. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, etc.) dos três Presidentes da República retirados.
. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações,tudo à custa do pagode.
. Acabar com os milhares de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e têm funcionários e administradores com 2º ou 3º emprego.
. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de euros mês e que não servem para nada, antes acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.
. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821, etc.
. Redução drástica das Juntas de Freguesia.
. Acabar com o pagamento de 200 por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75 € nas Juntas de Freguesia.
. Acabar com o Financiamento aos Partidos. Que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem para conseguirem verbas para as suas actividades.
. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País.
. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias, e até os filhos das amantes..
. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos.
. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos às escolas, ir ao mercado a compras, etc.
. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis... . Acabar com os "subsídios" de habitação e deslocação a deputados eleitos por circulos fora de Lisboa... que sempre residiram na Capital e nunca tiveram qualquer habitação nos circulos
eleitorais a que concorreram!
. Controlar os altos quadros "colocados" na Função Pública (pagos por nós..) que quase nunca estão no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe total: HÁ QUADROS QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO OS DA COISA PÚBLICA...
. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há hospitais de província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCIPESCAMENTE PAGOS... pertencentes às oligarquias locais do partido no poder...
. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos e outros, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar.
. Acabar com as várias reformas, acumuladas, por pessoa, de entre o pessoal do Estado e de entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.
. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP, com os juros devidos!
. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e quejandos, onde quer que estejam e recuperar essas quantias para os cofres do Estado.
. E por aí fora... Recuperaremos depressa a nossa posição, sobretudo a credibilidade tão abalada pela corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado .
. Quem pode explicar porque é que o Presidente da Assembleia da República tem, ao seu dispor, dois automóveis de serviço? Deve ser um para a "pasta" e outro para a "lancheira"!...
(enviado por email)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Com tanto desemprego nesta profissão, só pode ser brincadeira!!!

Paquistão poderá enviar enfermeiras qualificadas para Portugal

Veja aqui

Portugueses desconfiam dos políticos, Governo e Parlamento

A esmagadora maioria dos portugueses desconfia dos poderes políticos instituídos e está mal informado sobre o grau de desenvolvimento do País nas últimas décadas. Políticos, governos e até o próprio Parlamento não passam no crivo das escolhas da população.
O inquérito feito pelo projecto Farol a 1002 portugueses, numa amostra representativa da população, mostra que 94% dos portugueses desconfia ou confia muito pouco na classe política, outros 89% nos partidos políticos, 84% na Assembleia da República e 90% nos governos.

E, quando lhes é pedido um diagnóstico do País, 46% considera que as actuais condições económicas e sociais são "piores ou muito piores quando comparadas com a vida há 40 anos, antes do 25 de Abril".

Num passado mais recente, 58% dos inquiridos entende que a situação está pior ou muito pior que há 25 anos, antes da entrada de Portugal na União Europeia. A opinião é transversal a todos os escalões etários.

Para 81% dos portugueses, "o principal problema nacional é o desemprego", seguindo-se o sistema de saúde (26%) e o endividamento das famílias. Por isso, na opinião dos entrevistados, a necessidade de um plano económico sustentável é o factor escolhido por 49% da população como determinante para o futuro do País, a par do aumento da produtividade, que recolhe 45% das opiniões.

Apesar da desconfiança nas instâncias políticas, o certo é que a maioria dos portugueses entende que "a responsabilidade de executar o caminho para o sucesso" cabe ao Estado e aos empresários. Tanto mais, que 54% não estão dispostos a arriscar num negócio próprio.
In aqui

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

A violência não tem sexo

Não creio que a loucura do amor seja mais cruel nos homossexuais do que nos heterossexuais. Certo é que a maioria das mulheres tem menos força física.

Sendo o Brasil um dos países emergentes mais em aceleração, era normal e expectável que a tomada de posse da nova Presidente fosse um acontecimento à escala global.

E assim foi. Um pouco por todo o mundo, com mais ou menos destaque, se falou do assunto. Para a história ficará sempre a cumplicidade - circunstancial, é certo - demonstrada por Hillary Clinton e Hugo Chávez.

Mas para a imprensa brasileira, e não só, um facto mereceu ampla cobertura: a mulher do vice-Presidente, Marcela Temer, de 27 anos, que com a sua beleza e a sua trança - que passou directamente para a montra da moda de Verão do país -, quase abafou o sorriso e alegria de Dilma Rousseff. Marcela, além de ser comparada a uma estátua romana, foi também elogiada por passar a ser a Carla Bruni brasileira. Mas o dado mais gozado e que mereceu mais sacanagem da imprensa e dos blogueres foi o facto de Marcela ter menos 43 anos que o marido.

De um dia para o outro, a rapariga que há sete anos fez uma tatuagem para prestigiar o seu marido - este foi apenas um dos milhentos dados divulgados por todos aqueles que se tinham cruzado na sua vida - tornou-se um rosto familiar para milhões de pessoas. A história tem todos os condimentos para despertar a curiosidade dos leitores ou espectadores.

Uma semana depois, um jornalista português especializado em fofocas de vão de escada - cujos protagonistas em Portugal têm o nome de jet-set - foi brutalmente assassinado pelo suposto namorado. O crime foi espalhado aos quatro cantos do mundo, já que Carlos Castro, de 65 anos, sofreu atrocidades, dignas de um filme de Hannibal Lecter, pelo jovem amante de 21 anos. Até o insuspeito New York Times se viu obrigado a noticiar o caso. Percebe-se porquê... É que o mesmo tem todos os ingredientes para atrair audiências e ninguém quer deixar de saber os pormenores mórbidos que levaram um rapaz de 21 anos a passar-se para o campo da loucura. Além disso, trata-se de uma suposta relação homossexual.

Há perto de um ano li uma notícia de que um rapaz tinha morto a namorada à marretada porque esta o tinha deixado. Antes também lera que outro jovem abandonado havia morto a companheira recorrendo a ácido sulfúrico e utilizando técnicas de malvadez de que nem o tal Hannibal se lembraria. Não foram notícia em parte nenhuma, a não ser em Portugal. Porquê? Porque não tinham os tais ingredientes para as audiências e, diga-se, não ocorreram em Nova Iorque e não metiam homossexualidade. Não creio que a loucura do amor seja mais cruel nos homossexuais do que nos heterossexuais. Agora é certo que a maioria das mulheres não tem tanta força física como os homens. Só isso.

vitor.rainho@sol.pt, aqui

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Devemos circular na faixa da direita. Todos sabemos disso, mas o que se constata é muita gente, mesmo muita continua a circular na faixa do meio

Um cê a mais

Recebido por mail…
De fato, lá temos que nos habituar
(ou será abituar?)...

Manuel Halpern
Quando eu escrevo a palavra acção, por magia ou pirraça, o computador retira automaticamente o c na pretensão de me ensinar a nova grafia. De forma que, aos poucos, sem precisar de ajuda, eu próprio vou tirando as consoantes que, ao que parece, estavam a mais na língua portuguesa. Custa-me despedir-me daquelas letras que tanto fizeram por mim. São muitos anos de convívio. Lembro-me da forma discreta e silenciosa como todos estes cês e pês me acompanharam em tantos textos e livros desde a infância. Na primária, por vezes gritavam ofendidos na caneta vermelha da professora: não te esqueças de mim! Com o tempo, fui-me habituando à sua existência muda, como quem diz, sei que não falas, mas ainda bem que estás aí. E agora as palavras já nem parecem as mesmas. O que é ser proativo? Custa-me admitir que, de um dia para o outro, passei a trabalhar numa redação, que há espetadores nos espetáculos e alguns também nos frangos, que os atores atuam e que, ao segundo ato, eu ato os meus sapatos.
Depois há os intrusos, sobretudo o erre, que tornou algumas palavras arrevesadas e arranhadas, como neorrealismo ou autorretrato. Caíram hifenes e entraram erres que andavam errantes. É uma união de facto, para não errar tenho a obrigação de os acolher como se fossem família. Em 'há de' há um divórcio, não vale a pena criar uma linha entre eles, porque já não se entendem. Em veem e leem, por uma questão de fraternidade, os és passaram a ser gémeos, nenhum usa chapéu. E os meses perderam importância e dignidade, não havia motivo para terem privilégios, janeiro, fevereiro, março são tão importantes como peixe, flor, avião. Não sei se estou a ser suscetível, mas sem p algumas palavras são uma autêntica deceção, mas por outro lado é ótimo que já não tenham.
As palavras transformam-nos. Como um menino que muda de escola, sei que vou ter saudades, mas é tempo de crescer e encontrar novos amigos. Sei que tudo vai correr bem, espero que a ausência do cê não me faça perder a direção, nem me fracione, nem quero tropeçar em algum objeto abjeto. Porque, verdade seja dita, hoje em dia, não se pode ser atual nem atuante com um cê a atrapalhar.
Transcrito deste blog.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Vão desaparecer quase 50 mil postos de trabalho este ano

No Boletim de Inverno, hoje divulgado, o Banco de Portugal (BdP) aponta para que, face aos 4,9 milhões de pessoas empregues (dados do terceiro trimestre de 2010), mais de 49 mil postos de trabalho possam desaparecer este ano e cerca de 9800 em 2012.
No sector público, a quebra de emprego este ano será maior, o que significa que, dos 50 mil postos de trabalhos que poderão desaparecer, um pouco mais de 10 mil poderão ser funcionários públicos.
De acordo com o BdP, o emprego continuará a contribuir negativamente para o crescimento do PIB este ano e em 2012.

Banco de Portugal prevê recessão de 1,3% este ano

Este ano, a economia portuguesa deverá contrair-se 1,3 por cento, devido ao impacto das medidas de austeridade sobre o consumo e o investimento. A previsão é do Banco de Portugal e vem contrariar o optimismo do Governo, que aponta para um crescimento de 0,2 por cento em 2011.

Rendimento das famílias recua 2,4% este ano
No Boletim de Inverno, hoje divulgado, o Banco de Portugal (BdP) aponta para uma quebra de 2,4 por cento no rendimento disponível real das famílias, a que seguirá um aumento de 1,4 por cento em 2012.
De acordo com o banco central, o corte salarial na função público e o aumento dos impostos (nomeadamente do IVA) vão atingir o rendimento disponível das famílias. A isso junta-se a “prevalência de condições mais restritivas de acesso ao crédito” e as dificuldades no mercado de trabalho. A quebra de rendimentos terá como contrapartida a redução do consumo privado, que vai a empurrar Portugal para uma nova recessão.

IVA contribui em mais de 1% para subida dos preços
O Banco de Portugal prevê que a inflação aumente para 2,7 por cento este ano, uma subida que será empurrada sobretudo pela subida do IVA para a taxa de 23 por cento.

Sócrates diz que Portugal não vai pedir ajuda externa porque “não precisa”

O Governo português não vai pedir ajuda financeira porque “não é necessário”, disse José Sócrates, acrescentando que o país vai continuar a fazer o seu trabalho de consolidação orçamental.
Esta declaração foi feita após o anúncio de alguns dados preliminares da execução orçamental de 2010 do subsector Estado e da Segurança Social, em que foi obtida “uma folga orçamental de cerca de 800 milhões de euros, ou 0,5 por cento do PIB”, em relação ao que estava previsto no Orçamento do Estado para 2010.
Com base nestes números, o primeiro-ministro disse que o défice do Estado de 2010 ficará “claramente abaixo” da meta de 7,3 por cento.
O apuramento preliminar da despesa total do subsector Estado subiu apenas 1,7 por cento, quando no OE 2010 estava previsto que aumentasse 2,5 por cento; por seu lado, as receitas terão aumentado 5,3 por cento, face a 4,5 por cento previstos.
No caso da Segurança Social, previa-se no Orçamento um excedente de 605 milhões de euros no exercício, mas ficará acima de 720 milhões, disse ainda José Sócrates.
“Nestas três dimensões a comparação entre o resultado e o que era a previsão dá uma folga orçamental de cerca de 800 milhões de euros, ou 0,5 por cento do PIB”, explicou, salvaguardando que o apuramento final ainda não está feito. No entanto, esta folga é na óptica da contabilidade pública, que não é a utilizada pelo Eurostat para calcular os défices públicos. O valor final, na óptica da contabilidade nacional, será apurado pelo INE e reportado ao Eurostat em Março, explicou ainda.
Após apresentar estes números, o primeiro-ministro disse que “o país está a fazer o seu trabalho e está a fazê-lo bem”, sublinhando que Portugal “foi um dos países europeus que mais reduziu o seu défice em 2010”. Sócrates disse que dez país prevêem que no ano passado o seu défice aumente face a 2009 , dez prevêem uma redução de menos de um ponto, e Portugal é um dos poucos que reduz mais de dois pontos.
Foi na sequência desta apresentação que o primeiro-ministro afirmou peremptoriamente que “o Governo português não vai pedir ajuda financeira porque não é necessário”, dizendo que o” país vai continuar a fazer o seu trabalho” de consolidação de contas iniciado no ano passado. Disse ainda que os “rumores e especulações” e não ajudam o país.
Nos últimos dias, Portugal tem sido objecto de intenso noticiário da imprensa internacional, sobretudo económica mas não só, devido à subida dos juros da sua dívida pública nos mercados secundários e ao risco, dado como muito elevado, de o país vir a necessitar a curto prazo de ajuda financeira externa da União Europeia e do FMI.

“É mais fácil” se recorrermos à ajuda externa, diz administradora do BdP
“O recurso ao Fundo Monetário Internacional (FMI) não é inevitável, se criarmos um programa e mostrarmos capacidade de o executar sozinhos. Mas é mais fácil se tivermos apoio externo, desde logo porque isso evita que o ajustamento seja tão abrupto”, disse hoje Teodora Cardoso, no final da 1ª Conferência da Central de Balanços do Banco de Portugal.
A economista considera que, para que os mercados acreditassem em Portugal e baixassem os custos a que o Estado se financia, o ajustamento teria de ser “brutal”. “Se for feito com o apoio externo, pode ser menos abrupto”, considera a administradora do BdP, salientando ainda que uma instituição internacional, como o FMI, iria dar credibilidade a esse plano de ajustamento orçamental.
Teodora Cardoso destaca, contudo, que o apoio internacional a Portugal não tem de vir do FMI, podendo ser “estritamente europeu”, no âmbito da União Europeia e do Banco Central Europeu. E salienta ainda que o Governo português, se recorrer à ajuda externa, terá de saber negociar bem as condições de um empréstimo.
“As taxas de juro dos empréstimos à Grécia e à Irlanda foram muito altas”, considera Teodora Cardoso, defendendo que “não podemos simplesmente aceitar as mesmas condições, porque não estamos na mesma situação” que aqueles países. “Apesar dos nossos problemas de endividamento externo e de estarmos na situação em que estamos perante os mercados, não temos os mesmos problemas da banca que tem a Irlanda nem termos os problemas de orçamento que tem a Grécia”.

Balança comercial vai registar excedente pela primeira vez em 15 anos

No seu Boletim de Inverno, hoje divulgado, o Banco de Portugal (BdP) prevê que o saldo comercial com o exterior passe de um défice de 3,2 por cento em 2010 para um ligeiro excedente de 0,8 por cento em 2012, se excluirmos os bens energéticos.
Incluindo, contudo, esse tipo de bens, a balança comercial portuguesa conseguirá reduzir o défice este ano e no próximo (de 6,4 por cento em 2010 para 3,9 por cento em 2011 e 2,9 em 2012), mas manter-se-á no vermelho.
O banco central destaca ainda o aumento contínuo do défice da balança de rendimentos, devido à “progressiva deterioração da posição de investimento internacional” e dos “elevados prémios de risco da dívida soberana para Portugal”.
A previsão do BdP aponta para um aumento do défice da balança de rendimentos de 4,5 por cento do PIB em 2010 para 5,4 por cento em 2011 e 6,3 por cento em 2012.
Fonte: aqui

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Mourinho é Bola de Ouro

É oficial: José Mourinho foi eleito o melhor treinador do ano pela FIFA/France Football. O português recebeu a Bola de Ouro em Zurique, das mãos da alemã Sílvia Neid, eleita a melhor treinadora do ano.

O português subiu ao palco emocionado, mas antes disso ainda cumprimentou os jogadores que durante o último ano o ajudaram a ser o melhor. Ele que já se tinha emocionado quando Sneijder no palco o considerou o melhor treinador.

Depois recebeu o prémio e afirmou-se «orgulhoso português». «Boa noite, peço desculpa por falar em português, mas sou um orgulhoso português», disse. «Queria dar os parabéns a dois fantásticos treinadores, o senhor Del Bosque e Guardiola.»

Depois foi a altura dos agradecimentos. «Trabalhei muito para chegar aqui, mas não cheguei sozinho. Cheguei com os meus jogadores, com os meus clubes e sobretudo com aqueles que me amam e que me ajudaram a viver este momento fantástico.»

No final do discurso, Mourinho recebeu as palmas da sala em uníssono. O português é o melhor treinador do Mundo, na primeira vez que a FIFA e a France Football entregam a Bola de Ouro a um treinador: Mourinho inaugurou um prémio histórico.
Fonte: aqui

Se a prática o confirmar, eis uma boa notícia...

ETA anuncia cessar-fogo permanente

A ETA anunciou, através de um comunicado e de um vídeo, um cessar-fogo «permanente» e de carácter «generalizado», que poderá ser verificado internacionalmente como um «compromisso sério» no âmbito de um processo definitivo que põe fim aos confrontos armados, pode ler-se no jornal basco Gara.

Na declaração, redigida em três idiomas (basco, castelhano e inglês) e gravada em vídeo nos dois primeiros, o grupo armado faz alusão à Declaração de Bruxelas e ao Acordo de Guernica, falando da necessidade de oferecer uma solução «justa e democrática» ao conflito.

Segundo os responsáveis da ETA, citados pelo Gara, a resolução do conflito resultará de um processo democrático que tenha como instrumentos o diálogo e a negociação, e cujo norte seja a vontade popular.

Depois de anunciar o cessar-fogo, a ETA é instada a actuar com responsabilidade histórica, ao mesmo tempo que pedem às autoridades espanholas e francesas que terminem com todas as medidas repressivas e parem de uma vez por todas com a recusa em reconhecer o estado Basco.



Fonte: aqui

sábado, 8 de janeiro de 2011

As muitas paixões de Carlos Castro na cidade

Apaixonado por Nova Iorque há muitos anos, foi a cidade que nunca dorme que o colunista social Carlos Castro escolheu como cenário para algumas das suas relações amorosas.

Terá sido a última, com o jovem modelo Renato Seabra, a custar-lhe a vida, num crime vivido intensamente na sua cidade.

Castro foi encontrado sexta-feira ao fim do dia sem vida, que terá perdido com contornos de sadismo. Seabra, que estava desde 29 de dezembro com Castro na cidade, foi visto a sair do hotel pouco antes da macabra descoberta, e só de madrugada a Polícia o veio a encontrar, num hospital, levando-o para avaliação psiquiátrica.


Amigos que conviveram com ambos em Nova Iorque, em dias que deveriam ser de idílio, relatam uma relação tempestuosa, que terá culminado sexta-feira ao início da tarde numa violenta discussão no luxuoso Hotel Intercontinental, próximo de Times Square.

«Havia ali um clima de alguma tensão», relatou uma amiga da vítima, que jantou com ambos. A mesma fonte, testemunha do caso, atribui esse mal-estar a «ciúmes entre ambos». Um amigo da vítima afirma que já antes Castro tinha trazido companheiros a passear em Nova Iorque. No passado, viu zangas, «mas nunca nada assim».


A polícia ainda não determinou a hora da morte do colunista. Mónica e Vanda Pires, mãe e filha, foram, perto das 18h20, das últimas pessoas a ver Seabra antes da descoberta do corpo. «Acho que não estava à espera de nos ver e respondeu: O Carlos já não sai do quarto », disse Mónica. Estava bem arranjado e vinha vestido de maneira formal, de fato e gravata púrpura.

A NBC deverá dedicar no domingo um segmento do seu programa da manhã, o Today Show, à morte de Carlos Castro, tendo convidado Mónica a participar. A história foi notícia ao longo de todo o dia na imprensa e canais locais, e chegou ao The New York Times. Por se tratar de um «proeminente jornalista português», como foi amiúde identificado, mas também pelos contornos do crime.


A cidade onde Castro gostava de passear a pé pelas ruas sem ser reconhecido, correr as lojas e os espetáculos da Broadway, e que dizia ser a sua casa, acabou por viver o desaparecimento como se este fosse um dos seus ilustres.

Fonte: aqui

Confissão automática

Jovem dirigente do PS ganha salário de assessor a tempo inteiro, ao mesmo tempo que recebe subsídios do IEFP para criar empresa e posto de trabalho

Um jovem de 26 anos, sem qualquer currículo profissional nem formação superior, foi contratado, em Dezembro, como assessor técnico e político do gabinete da vereadora Graça Fonseca na Câmara de Lisboa (CML). Remuneração mensal: 3950 euros ilíquidos a recibo verde. Desde então, o assessor - que estava desempregado, fora funcionário do PS e candidato derrotado à junta de Freguesia de Belém - acumulou esse vencimento com cerca de 41.100 euros de subsídios estatais relacionados com a criação do seu próprio posto de trabalho.

Filho de um funcionário do PS, Pedro Silva Gomes entrou muito novo para os quadros do partido. Em 2006 foi colocado na Federação Distrital de Setúbal, onde se manteve até meados de 2008, ano em que foi reeleito coordenador do secretariado da secção de Santa Maria de Belém, em Lisboa. Entre os membros deste órgão conta-se a vereadora da Modernização Administrativa da CML, Graça Fonseca.

Já em 2009, Gomes rescindiu por mútuo acordo o contrato com o PS - passando a receber o subsídio de desemprego - e em Outubro foi o candidato do PS à Junta de Belém. No mês seguinte, perdidas as eleições, criou a empresa de construção civil Construway, com sede na sua residência, no Montijo, e viu aprovado o pagamento antecipado dos meses de subsídios de desemprego a que ainda tinha direito, um total de 1875 euros, com vista à criação do seu próprio posto de trabalho.

Logo em Dezembro, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) aprovou-lhe também um subsídio, não reembolsável, de 57.439 euros, para apoio ao investimento na Construway e para a criação de quatro postos de trabalho, incluindo o seu. Deste valor Pedro Gomes recebeu 26.724 euros ainda em Dezembro, sendo 4086 para investimento e 22.637 para os postos de trabalho. No dia 1 desse mesmo mês, porém, o jovem empresário celebrou dois contratos de prestação de serviços com a CML, para desempenhar funções de "assessoria técnica e política" no gabinete de Graça Fonseca. O primeiro tem o valor de 3950 euros e o prazo de 31 dias. O segundo tem o valor de 47.400 euros e o prazo de 365 dias. 0 segundo destes contratos refere que os serviços serão prestados no gabinete de Graça Fonseca e no Gabinete de Apoio ao Agrupamento Político dos Vereadores do PS.

A autarca disse ao PÚBLICO que foi ela quem convidou Gomes e garantiu que ele é "efectivamente" assessor do gabinete do PS, cuja coordenação, acrescentou, lhe foi "confiada". Este gabinete, porém, não tem existência real, sendo que Pedro Gomes é assessor de Graça Fonseca. A vereadora garantiu desconhecer o facto de o seu assessor ter recebido os subsídios do IEFP. A direcção do instituto, por seu lado, adiantou que Gomes já recebeu este ano mais 12.593 euros para apoio ao investimento, tendo ainda a receber cerca de 10.500 euros. Face às perguntas do PÚBLICO sobre a acumulação ilegal do lugar de assessor com os apoios recebidos e aos indícios de que a Construway não tem qualquer actividade, o IEFP ordenou uma averiguação interna e admite vir a pedir a restituição dos valores recebidos pelo empresário.

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, não respondeu a várias perguntas do PÚBLICO.
José António Cerejo

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Presidente da Venezuela protagonizou incidente mais engraçado da investidura de Dilma

Chávez pergunta a Hillary: “Como está a esposa?”

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, partiu cedo, no sábado, da cerimónia de investidura da presidente Dilma Rousseff (Brasil), mas ainda protagonizou o incidente mais engraçado da jornada. Ao cruzar-se com a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, foi falar-lhe. Só que, como o seu domínio do inglês é rudimentar, ao perguntar-lhe pelo marido, Bill Clinton, fez rir Hillary, pois o que disse, em inglês truncado, foi : "How are you wife?" (Como está a esposa?). A gaffe serviu para, por momentos, apagar a tensão entre Venezuela e EUA.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Chineses obrigados por lei a visitar pais idosos

Pequim está a preparar uma lei que obriga os chineses a visitar os pais idosos, para combater o crescente abandono entre os 167 milhões de cidadãos com mais de 60 anos

De acordo com o documento citado pela BBC, os cidadãos idosos passam a poder reclamar junto dos tribunais a atenção dos seus filhos. A China tenta responder desta forma ao crescente abandono a que são votados os mais velhos.

Recentemente, foram noticiados vários casos de mortes de idosos cujos corpos só foram encontrados semanas e meses depois.

Um advogado citado pela imprensa estatal admite que a lei terá poucos efeitos práticos, mas que pode «moralizar» os chineses no sentido de cuidarem melhor dos seus pais.

Tradicionalmente, os idosos são bem tratados na China, tal como na generalidade dos países asiáticos. No entanto, e nos últimos anos, a partida de milhões de chineses das zonas rurais em direcção a cidades em rápido desenvolvimento deixou para trás outros tantos milhões de pessoas vítimas de solidão e negligência.

In SOL

O Padre e a Freira no Deserto

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Estudantes criam óculos que reconhecem objectos e pessoas

Um grupo de estudantes da Universidade de Aalto, na Finlândia, criou um protótipo de óculos que reconhecem objectos e pessoas. Veja o vídeo

O projecto baseia-se na tecnologia de realidade aumentada que faz com que os óculos reconheçam o que está ao redor do utilizador, sejam pessoas ou objectos, enviando para as lentes informação útil sobre o que é visionado.

De acordo com os autores da tecnologia, esta pode ser utilizada em áreas como o planeamento urbano, design, construção ou em interacções sociais, entre outros aspectos.

Como exemplo de utilização da tecnologia os investigadores referem a possibilidade de um arquitecto poder visitar o local onde decorrem umas obras e com os óculos poder visualizar os planos originais.

A tecnologia permite também visualizar informação sobre pessoas, quando o utilizador olha para elas.

Para que o dispositivo consiga reconhecer uma determinada pessoa, os seus dados pessoais têm de estar numa base de dados ligada aos óculos.

Num dos testes levados a cabo pelos estudantes, a informação pertencia a uma base de dados interna da universidade.


In Sol

Veja o que foi escrito sobre as mulheres ao longo dos tempos...

QUER PERDER O SEU EMPREGO?

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A época das promessas

O país necessita dos seus melhores cérebros e não pode dar-se ao luxo de os deixar enriquecer os países de acolhimento.

Quantos mais anos vivemos, mais ouvimos as promessas do costume nesta época de fim de ano e início de outro. Vou deixar de fumar , vou ter mais cuidado com a alimentação , vou passar a andar a pé todos os dias , o carro vai passar a ficar na garagem durante a semana , vou ser mais poupado , vou ser mãe , vou deixar de colocar o trabalho à frente de tudo , ou tão simplesmente vou ter mais tempo para mim . Pequenos desejos que ouvimos da boca de muito boa gente, convencida de que o segredo é aproveitar o ano novo para mudar pequenas grandes coisas na vida. Como se o fim de um ano e o início de outro fosse mais que uma folha caída no calendário. Só que por uma razão pouco racional gostamos de acreditar que a tal passagem de ano, o fim do velho e o surgimento do novo, é o anunciar de uma nova realidade que queremos associar a coisas boas ou que ambicionamos há muito.

Também é por esta altura que chovem emails no computador com mensagens apelando ao nosso lado mais solidário e recordando-nos que se ficarmos doentes serão os amigos que irão ajudar-nos e não uma qualquer promoção ou tarefa profissional. Nesta senda de mudança, há até quem acredite que quando soam as doze últimas badaladas, e ao mesmo tempo que vão engolindo as respectivas passas, os sonhos formulados acabarão por se concretizar. Para os mais dados a superstições, nenhuma mulher ou namorada poderá começar o ano sem umas cuecas azul-turquesa, já que assim terão mais sorte. Estranho este amuleto... Não estará na altura de actualizar a cor?

Na maior parte das vezes, ao fim de alguns meses constata-se que nada se alterou e que os desejos de mudança se esfumaram no frio dos dias de Inverno. Uns tratarão então de procurar ajuda, que poderá passar por aconselhamento médico ou pelo recurso a cartomantes e afins. Outros irão ficar à espera do fim do ano para voltarem a repetir a mesma conversa, convictos de que no próximo ano é que será mesmo à séria .

Penso que Portugal é um pouco o espelho destes desejos nunca concretizados. Um país que é dos mais desenvolvidos em inúmeras matérias - dos cartões de crédito às vias verdes, dos vinhos a toda uma agricultura biológica, do sistema de pagamento dos telemóveis às indústrias tecnológicas, não faltam exemplos de sucesso neste cantinho europeu. Um país que tem homens nos cargos mais importantes da Europa e do mundo. Desde Durão Barroso a Jorge Sampaio, passando por António Guterres e acabando em António Horta Osório, o CEO do Lloyd s Banking Group, há gente com capacidade para inverter o tradicional fadinho lusitano. Que por uma ou outra razão acaba sempre na choramingueira habitual.

Acredito que não somos obrigados a suportar esse maldito destino.

Utilizando uma das máximas dos tais emails que nos são enviados por pessoas genuinamente amigas, diria que está nas nossas mãos alterar o caminho que segue na direcção do abismo. Podemos e devemos não dar um passo em frente e caminhar numa direcção segura. Repare-se no que se passou com a nossa Selecção Nacional de futebol. Carlos Queiroz conseguiu transformar um conjunto de excelentes jogadores num grupo de rapazes sem alegria e sem qualquer chama. Com ele, caminhávamos alegremente para o abismo. Desde que alguém teve a lucidez de o enviar para a bancada, Portugal não deixou de ganhar jogos, tendo mesmo humilhado a Espanha, actual campeã do mundo.

Foi um gesto simples que não precisou de aguardar por ano novo, nem por mão divina.

O futuro do país passa inevitavelmente por aproveitar os seus melhores cérebros. É preciso estancar a emigração desses cromos que fogem deste canto fatalista e vão enriquecer os países de destino. É um facto que há matéria-prima de qualidade para fazer de Portugal um país com melhores condições, sendo apenas necessário dar-lhes oportunidade de o demonstrarem. Há até quem diga que se o país conseguisse patentear todas as invenções que os portugueses descobrem, seria uma nação bem mais rica e sem o credo de bancarrotas.

Que em 2011 possam concretizar todos os vossos desejos são os meus votos. Feliz ano novo.

vitor.rainho@sol.pt

sábado, 1 de janeiro de 2011

"Não se governa nem se deixa governar!»

«Há, na parte mais ocidental da Ibéria, um povo muito estranho: não se governa nem se deixa governar!»
Esta frase foi escrita por um general romano em serviço na Ibéria em carta enviada ao Imperador. É atribuída ao General Galba, que teria sido um dos primeiros governadores romanos na península, no Séc III antes de Cristo.

Referia-se o general romano aos Lusitanos, uma tribo guerreia que habitava também uma parte do actual território nacional. Não foi fácil às legiões romana dominarem os Lusitanos que ofereceram acesa resistência. Lembremos um dos seus chefes: Viriato.

Parece que a célebre frase aplicada aos nossos antepassados se pode igualmente aplicar aos portugueses da actualidade. Não nos governamos nem queremos que nos governem.

Num país endividado até ao tutano a quem não faltará muito os credores deixarão de emprestar dinheiro ou então fá-lo-ão com juros incomportáveis, os portugueses continuam a soprar para o lado:
- No Natal de 2010, os portugueses gastaram mais dinheiro do que no ano transacto.
- Ao contrário do que se verifica na Europa, em Portugal acelerou a compra de carros novos no último trimestre de 2010.
- Tudo o que era local de passagem de ano e tudo o que era avião pejou de portugueses.

Poupança? Prevenir o futuro? Investir? Nada disso. Gastar, gastar, gastar. Parece que o pensamento de muita gente anda por aqui: quem vier depois de nós que feche a porta, isto é, que pague as dívidas. Que direito temos nós de fazer pagar às gerações futuros as dívidas que elas não contraíram?

Existe uma burguesia média e média-alta citadinas para quem a máxima é gozar a vida, sem horizontes nem amanhãs. Parece que três deuses enchem por completo o coração desta gente: prazer, ter, e poder. Valores? Que valores? Cada um que se safe! Egoístas até ao fundo, só pensam no seu próprio bem-estar, o resto é paisagem.
E se pensarmos que é esta gente que, através de lobbys bem organizados e pouco ou nada transparentes, está por trás dos decisores políticos, económicos e jornalísticos, compreendemos que estamos bem entregues... A crise começa na ausência de valores, derivam muito daqui as crises económicas e sociais.

Há ainda a célebre mania nacional do dar nas vistas. Da primazia do parecer sobre o ser. "Se o meu vizinho goza, eu também tenho do gozar." Não interessa como, não interesse o futuro que se hipoteca...

Depois queixamo-nos dos políticos. É certo que, na maioria das vezes, com razão. Mas os políticos emergem do povo que somos, são portugueses como os outros. Se os políticos são fracos, é porque nos tornamos num povo fraco.
Ainda não nos habituamos a castigar nas urnas os mentirosos e falsos e a premiar quem nos diz a verdade, mesmo quando esta não nos é agradável. Vejamos o caso das últimas eleições legislativas. Quem é que o povo escolheu? Sócrates. Exactamente aquele que todos já sabiam que não cumpre o que promete, aquele que hoje diz uma coisa e daqui a dias o contrário...

Há ainda uma mentalidade dependentista na sociedade portuguesa. Parece que as Câmaras e o Estado é que têm de fazer tudo. Não queremos o comunismo, mas depois acabamos por proceder como se vivêssemos num estado comunista. Não há emprego? Culpa do Estado e das Câmaras. Não há empresas? Culpa do Estado e das Câmaras? Há pobres? O Estado e as Câmaras que resolvam...
Precisamos de despertar para a cidadania plena, tanto na reivindicação, na vigilância aos governos, na manifestação dos nossos pontos de vista, como na realização, na iniciativa, na solidariedade...
Quanto menos precisarmos dos políticos, menos dependência deles teremos, mas servidores os tornaremos, menos corrupção existirá...

Às vezes parecemos um povo infantil: só causas concretas e imediatas nos movem. Somos capazes de fazer uma manifestação porque na cantina de uma escola foi encontrada uma lagartixa na sopa, mas nunca nos movimentamos por valores.
Como é que um povo sente uma minoria de privilegiados (gestores, boys e muitos ricos) a ganhar loucuras e não se revolta, não se manifesta quando no mesmo país há reformas que não dão sequer para os medicamentos?

Texto de "O bar do Zé"

Seu organismo e a bebida alcóolica: Bem didático. A mais didática explicação da ressaca e afins que recebi.

Você vai ao bar e bebe uma cerveja. Bebe a segunda cerveja, a terceira, e assim por diante. O teu estômago manda uma mensagem pro teu cérebro dizendo "Caracas véio... o cara tá bebendo muito líquido, tô cheião!!!" Teu estômago e teu cérebro não distingüem que tipo de liquido está sendo ingerido, eles sabem apenas que é líquido. Quando o cérebro recebe essa mensagem ele diz: "Caramba, o cara tá maluco!!! E manda a seguinte mensagem para os rins "Cara, filtra o máximo de sangue que tu puder, o hômi aí tá maluco e tá bebendo muito líquido, vamo botar isso tudo pra fora" e os rins começam a fazer até hora-extra, filtram muito sangue e enchem rápido a bexiga. Daí vem a primeira corrida ao banheiro. Se você notar, esse 1º xixi é com a cor normal, meio amarelado, porque, além de água, vêm as impurezas do sangue O rim aliviou a vida do estômago, mas você continua bebendo e o estômago manda outra mensagem pro cérebro "Cara, ele não pára, socorro!!!" E o cérebro manda outra mensagem pro rim: "Véio, estica a baladeira, manda ver aí na filtragem!!!" O rim filtra feito um louco, só que, agora, o que ele expulsa não é o álcool ele manda pra bexiga apenas ÁGUA (o líquido precioso do corpo). Por isso que as mijadas seguintes são transparentes, porque é água. E quanto mais você continua bebendo, mas o organismo joga água pra fora, e o teor de álcool no organismo aumenta, e você fica mais "bunitim". Chega uma hora em que você tá com o teor alcoólico tão alto que teu cérebro desliga você. Essa é a hora em que você desmaia... dorme... capota... resumindo: essa é a hora em que o teu... não tem dono! Ele faz isso porque pensa "Meu, o cara tá a fim de se matar, tá bebendo veneno pro corpo, vou apagar esse doido pra ver se assim ele pára de beber, e a gente tenta expulsar esse álcool do corpo dele" Enquanto você está lá, apagado (sem dono), o cérebro dá a seguinte ordem pro sangue "Bicho, apaguei o cara, agora a gente tem que tirar esse veneno do corpo dele. O plano é o seguinte, como a gente está com o nível de água muito baixo, passa em todos os órgãos e tira a água deles, e assim a gente consegue jogar esse veneno fora". O sangue é como se fosse o Boy do corpo. E como um bom Boy, ele obedece às ordens direitinho e, por isso, começa a retirar água de todos os órgãos. Como o cérebro é constituído de 75% de água, ele é o que mais sofre com essa "ordem", e daí vêm as terríveis dores de cabeça da ressaca. Então sei que, na hora, a gente nem pensa nisso, mas quando forem beber, bebam de meia em meia hora um copo d'água, porque na medida que você mija, já repõe a água. Texto retirado de "O bar do Zé"

Sabia que…
… tomar água na hora correta maximiza os cuidados no corpo humano?

2 copos de água depois de acordar ajudam a ativar os órgãos internos.
1 copo de água 30 minutos antes de comer ajuda na digestão.
1 copo de água antes de tomar banho ajuda a baixar a pressão sanguínea.
1 copo de água antes de ir dormir evita ataques do coração.

Análise do Ano 2010

Com pessoas do povo, figuras públicas, emigrantes, jornalistas e comentadores da SIC, faça a sua análise do Ano de 2010.

Veja aqui: http://sic.sapo.pt/online/noticias/vida/multimedia/analise-2010.htm