quarta-feira, 16 de maio de 2018

Alcochete

Resultado de imagem para bas dost ferido e com lágrimas
Quando as estações televisivas fazem longos diretos com os borra-botas em coluna fascista atravessando a cidade à ida e vinda de um jogo de futebol. Quando se mandam polícias pastorear borra-botas pela cidade. Quando os líderes dos clubes são boquirrotos. Quando as capas de jornais desportivos privilegiam as palavras dos boquirrotos em vez do rasgo corrido de Gelson. Quando colunistas de jornais aceitam mostrar-se indigentes, já que o assunto é, julgam eles, só de camisola e emblema. Quando essa arte e ciência que encanta miúdos e velhos é comentada em prime time por tipos talvez de meia-idade e certamente com um terço de inteligência. Quando, com muito share, insultos recíprocos são trocados por gente paga, cara e cara separadas por um palmo mas nunca havendo um gesto honrado que desagrave os desaforos lançados nos perdigotos. Quando as assembleias gerais presididas por bombeiros incendiários têm mais destaque do que o ato luminoso do Perdigão, do Desportivo de Chaves, a cuidar de uma bola. Quando os talentosos Paulinho, do Braga, e o Rafa, do Portimonense, são menos conhecidos do que o Pedro Guerra e o Francisco J. Marques, cujas conversetas têm o dom de tornar a alma dos adeptos mais pequena. Quando se vandaliza em grupo uma estação de serviço e já nem se noticia porque o autocarro dos gatunos e brutos vai a caminho de um estádio... Então, quando tantos miseráveis quandos se acumulam, arriscamo-nos a ver um admirável, forte e grande Bas Dost ferido e com uma lágrima por nós todos.
Ferreira Fernandes, aqui

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Entrevista com Francine - FRANÇA - #HUMAN




Assunto: o pedaço de chocolate !
TESTEMUNHO IMPRESSIONANTE...SÃO 5 MINUTOS DO VOSSO TEMPO MAS VALE A PENA !!!!!!!

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Ai miga, de que morreste?


Duas amigas encontraram-se no céu e uma pergunta para a outra:

– Como foi que tu morreste?  

– Congelada. 

– Que horror. Deve ter sido horrível! Como é morrer congelada?  

– No começo é muito ruim: primeiro são os arrepios, depois as dores nos dedos das mãos e dos pés, tudo a congelar, mas depois veio um sono muito forte e perdi a consciência. E tu, de que morreste? 

– Eu morri de ataque cardíaco. 

Eu estava desconfiada de que o meu marido me traía. 

Um dia cheguei a casa mais cedo, corri até ao quarto e ele estava na cama, calmamente a ver televisão. 

Desconfiada, corri até ao portão para ver se encontrava a mulher em fuga, mas não encontrei ninguém. 

Corri até o segundo andar e, ao subir as escadas, esbaforida, tive um ataque cardíaco e caí fulminada. 

– Oh, que pena... Se tivesses procurado no frigorífico, nós duas estaríamos vivas!

quarta-feira, 2 de maio de 2018

terça-feira, 1 de maio de 2018

Dignidade humana está «vinculada» ao trabalho

Resultado de imagem para trabalhador novas tecnologias
O Papa defendeu hoje no Vaticano que a dignidade de cada pessoa está “estreitamente vinculada” ao trabalho, assinalando a festa litúrgica de São José Operário.
“A dignidade da pessoa está estritamente vinculada, precisamente, ao trabalho: não ao dinheiro, à visibilidade ou ao poder, mas ao trabalho”, declarou, numa audiência aos profissionais do jornal católica italiano ‘Avvenire’.
Francisco falou na necessidade de um trabalho que “dá lugar a todos, seja qual for o seu papel”, no qual “a pessoa e a sua família são mais importantes do que a eficiência como um fim em si mesma”.
A Igreja Católica celebra desde 1955 a festa litúrgica de São José Operário, como forma de associar-se à comemoração mundial do Dia do Trabalhador, uma decisão do Papa Pio XII.
O Papa Francisco sublinhou que cultura digital pediu uma “reorganização do trabalho”, que no setor da Comunicação procura responder à maior “convergência e interatividade permitidas pelas plataformas digitais”.
“Neste cenário, a Igreja sente que não pode deixar que falte a sua voz, sendo fiel à missão que a chama a proclamar o Evangelho da misericórdia a todos. Os media oferecem-nos um enorme potencial para contribuir, com o nosso serviço pastoral, para a cultura do encontro”, apontou.
A celebração do Dia do Trabalhador foi também evocada pelo Papa na sua conta do Twitter.
“Celebramos São José trabalhador, recordando-nos sempre de que o trabalho é um elemento fundamental para a dignidade da pessoa humana”, escreveu.
Fonte: aqui